Papa: "Pais ausentes deixam graves lacunas nos filhos"

Dentre os discursos de valorização da paternidade, agora podemos incluir o do Papa Francisco.
Ele fez um discurso em final de janeiro de 2015 sore a importância da ausência do na vida de uma criança.

Sou um grande fã de Francisco, mesmo com todas as divergências que tenho com a igreja católica.

Ele lembra que o pai de antes, era o “pai-patrão” – autoritário de censor da felicidade dos filhos. Muitos pais tratavam seus filhos como escravos e não respeitavam sua autonomia, exigências pessoais; não os ajudavam a crescer em liberdade.
Segundo Francisco: “Com o tempo, isso foi mudando de um extremo para o outro. O problema hoje não é mais a presença invasiva dos pais, mas a sua ausência: estão ‘foragidos’, concentrados em si mesmos. Deixam sós os filhos pequenos, na sensação de orfandade. O Papa revelou que “quando era Arcebispo de Buenos Aires sentia isso nas crianças e jovens e perguntava a seus pais se tinham tempo para os filhos, se tinham coragem e amor suficientes para brincar ou conversar com eles”.

Segundo ele, há várias consequências nesses dois extremos:
“A ausência do pai é muito nociva às crianças e aos jovens, produz lacunas e feridas que podem ser muito graves; e sem perspectivas e valores, eles ficam vazios e propensos a buscarem ídolos que preencham os seus corações”.
“Mas também quando estão em casa, muitas vezes não se comportam como pais, não cumprem o seu papel educativo, não dão a seus filhos, com seu exemplo, os princípios, valores e regras de vida de que precisam”.
“Sua ausência deixa os jovens sem estradas seguras, sem mestres nos quais confiar. Ficam órfãos de ideais que lhes aqueçam os corações, órfãos de valores e de esperanças que os amparem no dia a dia. São preenchidos de ídolos, mas lhes é roubado o coração, são levados a sonhar divertimentos e prazeres, mas não lhes dá a chance de trabalhar, são iludidos com o deus-dinheiro e privados das verdadeiras riquezas”.
Fonte: Vaticano Radio

Creio que ele expõe bem a necessidade da valorização do acesso dos pais aos seus filhos quando isso lhes é negado. E aos pais “presentes”, que se façam presentes de fato.
Uma criança precisa de exemplos e quando isso lhes é dado por seus genitores, acredito que gere uma grande sensação de conforto e confiança em seus pais e em si mesmas.

Pense bem no tipo de pai que quer ser para seus filhos e no tipo de pai que quer ter para seus filhos.
Grande abraço do grande!
=]

Deixe uma resposta