Agressividade infantil – Causas

Meu pequeno mudou de escola e mudou o comportamento levemente.
Levemente para mim, pois para a nova escola foi mais visível.

Ele estava desobedecendo a tia, deu tapas em amiguinhos, fez pirraça… pois bem. Em conversa com a coordenação, fomos procurar entender os motivos e nos salietaram o seguinte: crianças se tornam agressivas quando querem expressar sentimentos fortes.

Ele melhorou bastante já e não é mais motivo de preocupação. Durou uma semana esse período e atribuímos a diferença de disciplina da escola antiga (que tinha pouca disciplina) para a atual (que é muito mais presente). Um período de adaptação mesmo.

Bem, resolvi procurar entender um pouco mais sobre o assunto…
Pesquisando, encontrei algumas publicações muito interessantes.

Olha… deve ser difícil manter a calma nessas horas.

As crianças são totalmente emocionais e pouco racionais. Por não saberem lidar com alguns sentimentos, podem expressá-las por meio de atos agressivos“, explica a especialista em psicologia clínica para crianças e adolescentes, Keila Gonçalves, na publicação: “Agressividade na infância: até que ponto é normal?“, do site Guia do Bebê.

Lá, encontrei os seguintes argumentos:
“Fragilidade e insegurança. Esses são os dois principais motivos que ocasionam comportamentos agressivos por parte das crianças”. “Situações como o nascimento de um novo bebê na família, separação dos pais ou então a perda de algum parente próximo contribuem para a mudança repentina na maneira de agir do filho.”

Mais do que punição, é preciso entender a criança e procurar dar mais afeto, pois isso pode ser simplesmente falta de atenção. O site Guia do Bebê ainda lembra que “(…) importante é a relação de cumplicidade entre a família e a escola. Saber sobre o comportamento do seu filho fora de casa e informar a educadora sobre os problemas percebidos podem ser fundamentais. ‘Muitas vezes, há uma melhora sensível quando a criança percebe que seus pais enxergaram o problema’ (…). Como se percebe, o afeto é o caminho mais tranqüilo e menos doloroso para arrancar a tensão de dentro do seu querido. Basta saber usá-lo.”

O site Baby Center fala sobre isso também na publicação “Agressão: como lidar com mordidas, tapas, chutes e outros” e dá importantes dicas de como lidar com essa situação:

O que é que ele pensa que vai fazer com essa mão? Se fosse para mim, ia se arrepender. heheheehe

– Use a lógica nas suas atitudes;
– Mantenha a calma;
– Imponha limites claros;
– Discipline-o o tempo todo do mesmo jeito;
– Ajude seu filho a se expressar de outra maneira;
– 
Elogie o bom comportamento;
– Limite o tempo de TV (principalmente de programas com tom de agressividade);
– Providencie atividades físicas e
– Não tenha medo de procurar ajuda.

Lá nessa publicação tem a explicação mais clara de como aplicar todas essas dicas.

Nossos pequenos precisam aprender a se expressar melhor e temos o dever de ajudar-los nisso. Mas… enquanto eles não aprendem… temos que procurar lidar da melhor forma possível. E paciência… muita paciência… hehehehe

Meu pequeno está tranquilo agora e só recebendo elogios das tias.
Nada que um pouco de disciplina e de atenção não resolvessem.

Boa semana para todos!
Um grande abraço do grande!
=]

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta