Birras Infantis

Para mim, isso é falta de educação.
Começo assim, me perdoem os pais mais bobos, que mimam os filhos… isso é falta de educação sim.

Bonitinho mas ordinário. hehehehe

É diferente de Ataque de Raiva, do qual eu falei no texto sobre Temper Tantrum, pois é algo que a criança faz conscientemente, apesar de muitos pais acharem que não, que é da idade e que depois passa: não passa!

Ataques de Raiva são passíveis de acontecer até os 3 anos de uma criança e são momentâneos, não frequentes, já os ataques de birra… isso é da criança que sabe como manipular os pais.
Como assim? É assim mesmo, crianças são seres capazes (e muito bons nisso) de manipular os pais. E cá entre nós, o processo é fácil: só chorar em voz alta que ganha o que quer. Não precisa ser letrado para saber disso, pois se dá certo uma vez, é só fazer sempre.

No site Guia do Bebê, a psicóloga clínica Ana Maria Morateli da Silva Rico, fez um belo texto sobre como evitar esse tipo de comportamento.
Ela fala inclusive na responsabilidade dos pais nesse tipo de comportamento, no quanto eles são culpados pelas birras das crianças.

Você não pode perder essa disputa.

Não, ela não é tão direta quanto eu, ela “pega leve” com os pais. Eu sigo mais a ideia de matilha e mostro quem é o alfa na relação, pois se alguém tiver que gritar ou berrar entre eu e meu filho, esse alguém teria que ser eu, e eu não o faço com regularidade. Resta a ela entender que ele não pode fazer o mesmo e ponto… sem muita conversa.

Comigo funciona no exemplo… se continuar… digo a ele a consequência do ato dele. Se ele continuar, mesmo sob meu alerta, faço o que disse que ia fazer. Óbvio que é algo que ele não gosta (colocar ele de castigo, ir embora de uma festa, desligar o filminho que ele quer ver…) seja o que eu prometi, eu tenho que cumprir, para ele entender que da próxima vez que eu avisar, ou ele sofre as consequências ou me obedece.

Se me abre essa boca… hum… vai lembrar por muito tempo das consequências.

É assim mesmo que funciona pra mim, eu mando e ele que não me obedeça…
Ele não tem inteligência para saber o que é melhor para ele… então eu decido.

Se acontecer na rua a birra, seja firme e prometa algo desagradável se ele não acabar e cumpra: ir embora, cancelar a ideia do sorvete que iam tomar, cancelar o cinema…. qualquer coisa que cause descontentamento na criança e ela entenda o que terá de consequências se não obedecer. Pode não dar certo na primeira vez, mas faça o que tem que ser feito e na segunda vez… a criança vai obedecer pois lembrará o que aconteceu quando não obedeceu.
Calma, paciência e pulso firme.
Mostre quem é que manda, literalmente.
Se ele não gosta, ele tem que saber que você gosta ainda menos do que ele.

Seja firme e boa sorte!!!
=]

Deixe uma resposta