Boas maneiras… hum… isso não pode ser sinônimo de omissão

É importante ensinar nossos pequenos como devem se comportar em sociedade, mas… como eles devem se comportar em sociedade?

Eu faço essa pergunta, pois não sou convencionalmente social.
Na sociedade brasileira atual, é comum: não reclamar de ninguém em público, não arrumar confusão, não gritar com as pessoas… mas… o que não se ensina, é que horas em que se deve fazer exatamente esse tipo de coisa.

Por mim… pode jogar o lixo no dono que eu apoio… merece!
=]

Viu alguém jogar lixo no chão? reclame com o sujeito(a)… pela para ele jogar o lixo dele numa lixeira, pois você não tem nada com isso. O lixo dele é problema dele.A pessoa ouve som alto em espaço público, você pediu para a criatura abaixar e ela foi mal-educada com você? Se for em horário indevido, chame a polícia.
Alguém está sendo ofensivo com um idoso, grite: – “Ei… não se atreva a fazer isso com esse idoso ou eu chamo a polícia!”

Acho que isso tem que ser ensinado a nossos pequenos também, a diferença entre educação e omissão.
Acho, por sinal, que nossa sociedade criou uma série de “normas de educação” que são muito obsoletas e até mesmo impróprias para o melhor para todos.

Um exemplo que eu conheço começa com a seguinte frase: tenha modos, mocinha!
Normalmente, isso antecede um ensinamento com teor machista.
Ou então: seja macho!
Como se “ser macho” seja sinônimo de ser valentão, brigador, comedor de menininhas…

Não falo só do machismo não, esse é um viés que eu acho muito praticado entre nós, mas pouco reparado no seu teor nocivo que gera para toda a sociedade, um indivíduo machista, mas pode ser um racista, um consumista, um intolerante… a formação de um indivíduo “não-social” começa na criação.

Acho que cabe a nós pais, revermos os conceitos que nos foram passados e avaliá-los para ver se eles se enquadram nos conceitos que queremos passar para nossos filhos.
Inclusive o papel de um homem em ser pai.

Não, meu pai não me ensinou a não ser pai, mas até ele estranhou quando viu minha luta em defender os direitos paternos. Assim como a ideia que ouvi de muita gente “esclarecida” de que filho tem que ser criado pela mãe… esse negócio de compartilhar a criança não é legal… pessoas que nem sequer pararam para avaliar e estudar o caso, preferiram entrar no “padrão social”.

Espero que possamos ensinar e instruir melhor nossa próxima geração.

Para terminar de forma descontraída, observem esse desenho da turma da Mônica e percebam alguns ensinamentos que passamos aos nossos pequenos e me digam se são os melhores para formar  bons indivíduos…
[youtube=http://youtu.be/pwkMBdnApKc]
Deu para entender o recado? Espero que sim.
Beijos a todos, damas e valetes!
=]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *