Comportamento de alienador

Sei que normalmente eu posto aqui, as segundas, textos falando sobre comportamento, valores e segurança para nossos pequenos e sobre eles, mas hoje vou fazer um pouco diferente…

Li essa semana um texto sobre o comportamento de um genitor alienador e acho que serve para que as pessoas possam identificar o que não podem fazer para evitar a SAP – Síndrome de Alienação Parental (para maiores dúvidas, entre no post que explico o que é SAP), num texto de “Antônio Gaspar Gaspar”, publicado no grupo de apoio aos alienados da SAP.

O texto serve para várias situações: entender melhor o tipo de comportamento que leva a alienar uma criança – o que é útil para uma avaliação pessoal; um parente próximo alertar o parente alienante dos atos que ele está cometendo; Um alienado entender as causas de ter se tornado alienado. servir de base para a queixa jurídica contra o alienador, um adolescente alienado entender como ele pode ter entrado nessa síndrome e entender que a culpa pode não ter sido do genitor alienado… enfim… dá para ser utilizado de várias formas.

Leia e tire suas conclusões:

Características de País que induzem a alienação parental aos filhos:

• Cortam as fotografias em que os filhos estão em companhia do pai ou da mãe, ou então, proíbe que as exponha em seu quarto.
• Pais monoparentais, não participam ao pai ou mãe que “ficou de fora” informações escolares como os boletins escolares, proíbe a entrada destes na escola, não fornece fotografias, datas de eventos festivos escolares e tentam macular a imagem do pai junto ao corpo docente do colégio.
• Pais dessa natureza, não cooperam em participar de mediações promovidas por instituições que promovem a mediação entre casais em litígio, são frequentemente agressivos, arrogantes, e exímios manipuladores.
• Restringem e proíbem terminantemente, a proximidade dos filhos e parentes com os membros da família do ex-cônjuge.
• Encaram o ex-cônjuge como um factor impeditivo para a formação de uma outra família (normalmente porque idealizam uma nova vida imaginando poder substituir a figura do pai ou da mãe pela do padrasto ou madrasta, o que não seria possível com a proximidade do ex).
• Pais que induzem a alienação parental, ao ser necessário, deixam seus filhos com vizinhos, parentes ou amigos, mas nunca com o pai ou mãe não residente, (mesmo que ele seja o seu vizinho), a desculpa clássica é: ” Seu pai ou sua mãe está proibido de ver as crianças fora do horário pré-estipulado para ele “ , ” Seu pai ou sua mãe só pode ficar com vocês de 15 em 15 dias. Foi o Juiz que disse “ ou “ Não permito, porque seu pai ou sua mãe vai interferir na rotina da nossa família”
• Pais que induzem a alienação parental, normalmente são vítimas do seu próprio procedimento no futuro, sendo julgados pelos seus próprios filhos impiedosamente.
• Tem crises de depressão e agressividade, exercendo violência física ou psicológica sobre seus filhos.
• Fazem chantagem emocional sempre que possível, especialmente quando a criança está de férias com o pai ou a mãe não residente.
• Não percebe o cônjuge na sua angustiante revolta e infelicidade que o seu “maior inimigo” poderia ser seu maior aliado, sendo enormemente beneficiada dividindo a responsabilidade no compartilhar da guarda do filho, com o ex-cônjuge.
• Muitas vezes negam ao pai ou mãe não residente o direito de visitar seus filhos nos horários pré-estipulados, desaparecendo por semanas a fio, ou obrigando as crianças a dizerem, que não querem sair com o pai ou mãe, não permitindo nem mesmo que ele se aproxime de sua casa, chamando a polícia sob a alegação que está sendo ameaçada ou perseguida.
• Não permitem o contacto telefônico do pai ou a mãe com o filho em momento algum, proibindo inclusive que o filho ligue para ele.
• Desaparece com o telemóvel (celular) que o pai ou a mãe dá para o filho.
• Costumam fazer falsas denuncias caluniosas de agressão, ameaça, crimes contra a honra, etc.
• Agridem fisicamente o pai ou a mãe em locais não públicos, e imediatamente se deslocam para locais públicos, para forjar um pedido socorro por terem sido, supostamente, agredidas.
• Frequentemente ameaçam mudarem-se para bem longe.

 

Eu espero que possa ser útil para ajudar alguém que passe por esse problema.
=I

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *