Medos em crianças… evite.

Uma coisa que me incomoda na formação de uma criança é um adulto criando medo fantasioso para uma mente tão inocente.

Todos já ouviram histórias assim e sei que muito já fizeram isso, contando/criando essas histórias de personagens que se deve ter medo.
Quem nunca ouviu falar em bicho-papão no armário, mula-sem-cabeça e homem do saco pela rua, jacaré e tubarão embaixo da cama… cara, eu sou totalmente contra.
Acho desnecessário criar uma mentalidade de ter medo do escuro, do “desconhecido”, mesmo que o desconhecido seja um quarto sem ninguém dentro e apagado. Prefiro criar uma mentalidade de coragem, de “desbravador”, mesmo que o que tenha que ser desbravado seja o quintal.

Quem não ficou feliz quando a pequena Bu enfrentou o monstro do armário dela? hehehehe

Dizer que não se deve colocar a mão em qualquer cachorro de rua… que não se deve pisar em poças d’água em dia de chuva, porque pode haver um bueiro aberto… ou algo que seja colocar um medo real numa criança, é até válido, pois gera sobrevivência dela, mas… de algo fantasioso… não acho nada legal!

Uma criança com medo do escuro pode ser um adulto que tenha um monte de manias, desde não dormir com luz apagada ou ser incapaz de viver sozinho, sempre dependente de estar com alguém. Um adulto que tenha um monte de medos e manias, pode ter tido o surgimento dessas sequelas no modo como foi criado, com medo, com exageros de hábitos “de segurança”, como não fazer isso ou aquilo para não ficar doente ou coisa do gênero (um futuro hipocondríaco?)

É como uma mãe com fobia a barata que vira pra o filho e diz: – “Cuidado filho… é muito perigoso ficar perto de barata!”
Pera lá… Seu medo tem que ser do seu filho também? Não poderia ser o contrário? Ensinar ele a te “proteger” do seu medo?
Esses hábitos, mesmo que impensados, só fazem “contaminar” a criança com medo também.

Acho que temos que rever que tipo de exemplos queremos dar as crianças para espelharmos que tipo de adultos queremos que eles sejam.

Thomaz, desde cedo, tento incentivar ele a perder seus medos.
Tinha medo de cavalo. Consegui fazer ele sentar num cela e depois lutar para não sair de cima do “dadalo”. (hehehe)
Não gostava de ir no banheiro fazer xixi sozinho, agora… só pede para acender a luz (o que faço para ele não errar a privada, senão, ia no escuro mesmo)

Vamos criar indivíduos mais corajosos e capazes de enfrentar seus problema, por favor!
=]

Deixe uma resposta