SAP – Síndrome de Alienação Parental

É um problema estudado a algum tempo, mas que não foi absorvido ainda pela sociedade e principalmente, de conhecimento de alguns pais que passam por isso.

“A Alienação Parental é um processo que consiste em programar uma criança para que odeie ou receie um de seus genitores sem justificativa. Quando a Síndrome está presente, a criança dá sua própria contribuição na campanha para desmoralizar o genitor alienado (GARDNER2 e GARDNER3, §1)”

Quando um dos genitores, constantemente fica falando mal do outro genitor para a criança, ou fica dizendo que o outro genitor não precisa de estar com a criança (inclusive jogando com ciúmes, no caso do outro genitor já ter outro filho posteriormente), ou por qualquer meio, conseguir “afastar” a criança do pai ou da mãe, isso pode gerar uma síndrome, o que pode resultar em complicações psicológicas para a própria criança.
Sabe aquele caso da mães que diz para o(s) filho(s) que o pai morreu, mas depois se descobre que ele está vivo?
Sabe aquele caso em que a mãe fala que o pai não presta, que é um vagabundo, que não ama a criança (dizendo isso para a própria criança)?
Sabe aquele caso em que a mãe não quer deixar o pai ver o(a) filho(a) e o pai tem que ir para uma briga judicial para garantir uma ordem de visitação?
Pois bem… isso tudo é cabível de um juíz olhar para o lado paterno com muito mais atenção, ou melhor dizendo, olhar para a mãe com mais atenção, de forma repressora e olhar para o lado do pai com mais complacência.

Inclusive, já houve casos de guarda revertida para o outro genitor que estava sendo vitimado por SAP.
Mais um motivo para conhecer melhor o problema.

Eu recomendo darem uma olhada no site: Pai Legal.
Lá fala exaustivamente sobre o problema e ajuda muito a tirar qualquer dúvida.

Mas… em caso de dúvidas não sanadas por lá, procure uma psicóloga infantil e tire suas dúvidas com ela.

É um problema sério para o genitor alienado e principalmente, para a criança que fica sem a referência de uma figura muito importante na sua formação e origem.

Óbvio que isso serve para o pai que fala mal da mãe para o(a) filho(a) também!
Abram o olho e pensem sempre no menor.

Abraços do grande!
=]

Nenhum comentário


  1. É lamentável qdo não se pensa na criança. Fica tudo tão mais simples qdo se dá prioridade ao crescimento saudável de um filho.
    Mas é igualmente lamentável ver pai indo pra justiça garantir o direito de visitação/pernoite e simplesmente desaparecendo. Meeeeses sem passar um final de semana completo com o próprio filho. Visita a horinha que é conveniente ou larga num pula-pula alguns quartos de hora e pronto! Acha que já fez sua parte. rs!
    Alienação parental é crime. Considero hediondo inclusive. Até pq ninguém precisa “fazer a caveira” do genitor para um filho. Se essa pessoa não estiver realmente preocupada com o desenvolvimento saudável do filho, a própria criança cresce percebendo isso.

    Responder

    1. Eu também não entendo como um pai pode “abandonar” uma criança.
      Enquanto a sociedade não entender que uma criança tem que ser atendida pelos pais, principalmente na primeira infância, até para que seja um cidadão saudável, não teremos pais e mães olhando o problema com melhor atenção.
      Abandono de menor… vc me deu uma ideia de mais um post meu anjo.
      Obrigado!
      =]

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *