Temper Tantrum, ou … simples Ataque de Raiva

ataque de birra
Thomaz num ataque de birra. Claro que não consegui focar, já que ele se debatia todo segurando na minha perna.
Como se isso colasse comigo esse ataque. hehehehe

Lendo o blog de uma brasileira que vive na Itália (pelo menos assim eu entendi até agora), onde ela cria, junto a seu marido, uma pequena lindeza.

Sua filhinha se chama Gaia e no seu blog ela descreveu um episódio que ocorreu com sua pequena, típico de crianças entre 18 e 36 meses de vida. O termo em inglês é “Temper Tantrum” e significa “ataque de raiva” ou “ataque de birra”.
Eu não conhecia o termo enquanto análise psicológica. É um evento comportamental já bem analisado por alguns especialistas, mas que creio que não veio ao conhecimento comum ainda, pois eu nunca tinha ouvido falar.

Calvin em um clássico ataque de raiva, mas ele não está mais na idade de ser aceito não. hehehehe

Ela mesma descreve o comportamento, a partir de uma tradução que ela mesma fez de um artigo estrangeiro:

“O famoso Temper Tantrum, aquele terrível comportamento das crianças pequenas que as levam a baterem os  pés ou jogarem-se  ao chão gritando desesperadamente, nada mais é do que a tentativa de colocar a raiva para fora, de descarregá-la da mesma forma que os raios fazem com a eletricidade. Através dos pés a energia acumulada sai e é absorvida pela terra, que neste caso, faz o papel de condutor. Se a raiva é contida se acumula no corpo e cria tensões, especialmente em relação aos dentes e mãos e podem aparecer problemas como abscessos, cáries dentárias eou bruxismo.”
Libertà e Amore- Elena Balsamo, pag. 16.

Eu já vi algumas crianças terem esse tipo de ataque e não sabia que isso era algo real e não inventado por elas. Como assim?
O ataque é uma forma da criança expressar uma raiva que não pode ou não sabe descarregar. Depois de ler o relato dela, procurar ler um pouco sobre o assunto (o que tive muita dificuldade em achar em português), entendi que é algo normal e deve ser tratado assim.
Deve-se manter a firmeza, mas sem pegar pesado. Deixar a criança manifestar um pouco e extravasar essa raiva que logo depois ela “volta ao normal”, como se nada tivesse acontecido.

Li um procedimento de como agir num caso de ataque desses:
“Seja gentil, mas firme: demonstre a sua confiança no prestador de cuidados ou babá , sendo consistente não mude os seus planos, principalmente em resposta a um ataque de raiva.”

Thomaz teve uma ou duas crises dessas comigo. Eu não conhecia o comportamento e tratei na época de acordo com o indicado, por coincidência.  Deixei ele dar o show dele e depois, coloquei ele de pé, me abaixei para olhar ele nos olhos, na altura dele e dei o esporro básico: não faça mais isso…, é feio…, papai não gosta…, se fizer isso de novo vou brigar com você…, eu te amo…, me dá um abraço.
Ele me abraça, me dá um beijo e eu retribuo, com todo o carinho do mundo.

Ele não tem tido mais esses ataques de birra, e não está mais na idade de ser aceitável.
O que mudou no procedimento anterior, é eu chegar perto dele caso ele resolva ter um acesso de birra e corto logo.
– “De pé, agora!”, ou então “se não parar com essa bobeira, eu vou brigar com você. Quer que o papai brigue com você?”
Ele sabe que se eu falar que vou brigar, eu brigo e dou o esporro, e se continuar, castigo.

Seja firme com seu filho, mas não precisa ser bruto.
Se fizer uma ameaça, cumpra. Crianças seguem exemplos e rotinas. Se você ameaça constantemente e não cumpre, a criança sabe que não precisa se preocupar com a ameaça porque ela é falsa.
Dê o esporro, brigue, nunca grite com a criança, olhe ele nos olhos, na altura dela e seja firme.

Sei de muitas mães que tem o coração mole e não conseguem fazer isso, ser firmes, mas como eu disse para uma aluna minha, mãe, educar é ser firme, senão, não educa e se pergunta depois o que fez de errado na criação do filho.

O Temper Tantrum, ou o Ataque de Raiva, é normal em crianças até 3 anos. Trate com carinho e firmeza, além de ter muita paciência.
Depois disso, é pura birra e pode ser corrigido.

Ah, o blog da Joice, mãe da Gaia, é http://avidadagravida.blogspot.it/

É muito curioso o blog dela, pois ela tem uma visão pedagógica muito forte e uma análise da mistura cultural muito interessante.
Boa leitura para todos!
=]

Nenhum Comentário


  1. Muito interessante isso! Legal mesmo Sal.. Parabéns pelo blog!

    Responder

Deixe uma resposta