Defensoria Pública e a guarda

A defensoria Pública é um grande aliado, mas só se você conseguir que aceitem seu caso.
Muitos defensores recusam casos se entender que não é um problema grande de verdade.
Se você quer registrar sua guarda compartilhada ou uma guarda unilateral, você pai, terá que convencer o defensor de que você tem o direito legal de o fazer.

No caso da guarda compartilhada, ela é regulamentada por uma lei nova, publicada em 2008.
Como ela é pouco conhecida, é pouco requisitada, e em alguns casos de defensores, ignorada.
Em alguns casos, alega-se que o direito da guarda é inerente à mãe e ponto final, mas a lei mostra que não é bem assim.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11698.htm

No link acima, está a publicação da lei no diário oficial da União.

Nessa lei, pode-se ler sobre os direitos de qualquer um dos paternos, tanto na guarda unilateral quanto na compartilhada.
Se um defensor não fizer valer seus direitos, alegando que a guarda é da mãe e ponto, você pode entrar com queixa na defensoria pública do seu estado ou pagar um advogado particular, o que varia muito de preço. Em alguns casos, cobra-se de 1.500 a 2.500 reais em média por um processo de guarda.

Lembre-se que mesmo não havendo entendimento entre os paternos, a guarda compartilhada pode sim ser aplicada, como registra o artigo do site Pai Legal:
http://www.pailegal.net/guarda-compartilhada/noticias-sobre-guarda/818-quando-aplicar-a-guarda-compartilhada-lei-a-caminho

Você pai, tem o direito de requisitar seu registro de guarda, seja unilateral ou compartilhada.
Leve cópia da lei se for procurar um defensor e boa sorte!
=]

Nenhum comentário


  1. Acho que falta também boa fé ou vontade das nossas entidades públicas.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *