Tem mais cocô aí???

Tem uma coisa que é libertária (para nossos bolsos) e um momento muito carente de atenção por parte dos pais que é a hora de tirar a fralda, lá pelo ano e meio, dois anos. Pode demorar um pouco mais, depende de cada criança.
Não, ainda vai acabar com as fralda para dormir por um bom tempo, mas deixar de usar a fralda durante o dia é uma economia gigante!
Ah é, também é um processo importante para a criança (tanto faz, sabe o quanto eu economizei com isso? hehehehe)

Estou levando no tom de piada, mas é um momento importante para a criança sim, até porque, alguns psicólogos afirmam que o cocô e o xixi deles é algo que eles produzem, que eles fazem (literalmente) e então querem mostrar para aqueles a quem eles mais amam: os pais.
Se não fosse pelo meu cachorro, seria a maior fonte de merda na minha vida. Toda vez que ele faz, tenho que “participar”, até para poder elogiar ele por fazer no lugar certo.

Ah… o lugar certo…
Bom. como se chega no lugar certo?
Leva tempo, requer muita atenção e dedicação.
Literalmente você tem que observar e identificar a cara que a criança faz quando está fazendo cocô na fralda. Não digam que eu contei isso, mas o Thomaz prendia a respiração e ficava todo vermelho, igual a um tomate! hehehehe, eu não disse nada!
Depois, identificado o momento, comece a perguntar a criança se está fazendo cocô.
É preciso fazer a criança tomar consciência do ato dela. Assim, pode-se começar a mostrar para ela quando ela faz cocô.

Aí vem o próximo passo, colocar ela sentada no lugar certo.
Pode ser num troninho, num assento infantil de privada ou na própria privada mesmo (segurando a criança para não cair dentro oras), coloque ela lá quando perceber que ela está iniciando o ritual. É capaz dela fazer no caminho e se sujar toda, mas depois que inventaram água e sabão, é mole resolver isso.
Coloque ela sentada, diga para ela que ali é o lugar certo e parabenize se ela fizer corretamente.

Logo ela começa a avisar quando quer fazer, com a singela frase: – cocô!
Corra com ela para o local certinho e comemore por ela ter avisado e quando ela terminar.
É trabalhoso, mas é necessário de várias maneira.

Hoje em dia, Thomaz fica brincando na privada. Quer conversar, brincar com o Guimba, cantar e tantas outras coisas, aí eu tenho que ficar perguntando:
– Tem cocô aí? Acabou?
Ele volta a se concentrar e dá um pulo da privada quando acaba dizendo:
– Acabô! Tchau cocôôôôô!!!
Depois vira a bunda para eu poder limpar, sobe na tampa da privada, dá descarga e lavo as mãos dele.

É isso aí, bom ritual do cocô para vocês!
=]

Deixe uma resposta