Alguns especialistas estão temerosos sobre a obrigatoriedade da guarda compartilhada. hunf!!!

Li uma matéria no site ZH, intitulada: Especialistas discordam quanto a possíveis benefícios da mudança, referindo-se a PLC 117/2013 que muda o texto da lei da Guarda Compartilhada e que agora não mais necessário seria o entendimento entre as partes para que seja aplicada o compartilhamento.

Hum… como eu posso começar a criticar???

Bem, o texto se refere ao fato do que alguns especialistas afirmam que algumas mães estão temerosas com a mudança. Imagino!
As mesmas mães que não entendem que não são donas de uma criança assim que se dá o rompimento de um casamento… as mesmas mães que pensam que tem o direito divino sobre uma criança e o pai tem que se contentar em seu fim de semana de 15 em 15 dias… pois, como citando uma das teses de defesa desses especialistas: uma mãe magoada com uma traição vai ter que se relacionar com esse pai de forma obrigatória?? VAI!!!

Eu não gosto de hipocrisia!!
No texto não vi em nenhum momento o olhar sobre o pai, só sobre a crítica à perda da mãe.
Não me levem a mal… mas o lado da mãe não é o único e por que só uma mulher pode ser traída? Quantas mulheres não traíram e levaram assim ao final de um casamento?

Canso de ver amigos e outros homens preocupados com o fim de um casamento, pois assim se distanciarão de seus filhos, mesmo que nunca tenham feito nada de errado, só não se entendem mais com suas conjugues e são infelizes assim… mas separando, acham que serão mais infelizes ainda sem os filhos presentes nas suas vidas.
Quanto a isso não vi pesquisa ou palavra de nenhum especialista… Não vejo a preocupação com esse tipo “angústia familiar”.

Deixemos de hipocrisia, por favor!!!

O direito da criança em ter os pais presentes em suas vidas deveria ser inalienável!!!
Aí a frase que todo homem que engravidou uma mulher incoerente tem que ouvir por estar tendo dificuldades em ter acesso aos seus filhos ou está sendo alienado parentalmente tem que ouvir: Quem mandou ter um filho com ela?! Agora vale para todos.
A vantagem é que agora existe uma lei contra a Alienação Parental e assim o outro pode até perder o direito de guarda da criança. Então se existe a lei protegendo, evitasse os problemas do litígio e ponto!

Então, que se faça valer o direito da criança sim!
Igualdade Parental é o ideal, desde que os dois genitores expressem vontade de o fazê-lo e tenham condições mínimas para praticá-las.

Deixemos os pontos de vistas egoístas de lado e pensemos sim no melhor para uma criança! Se os genitores não se entendem, que pelo menos se respeitem e façam o melhor para a criança, com a ajuda da lei ou não.

Força e honra, sempre!
Abraços!

Obs: para quem não conhece a lei da guarda compartilhada, segue o link.
Lei n° 11,698/1998 – Lei da Guarda Compartilhada

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *