Licença Paternidade no Brasil, o debate aumenta.

A licença paternidade, atualmente, é de 5 dias úteis para nós homens, mas tem, crescido um debate maior sobre a ampliação desse período.

Eu já fui convidado até para explanar sobre isso num programa de TV (em breve eu anuncio a data que vai ao ar), e levantei alguns fatos acerca da problemática.

Existe um projeto de lei para ampliação para 30 dias de licença, do senador Álvaro Dias (PSDB/PR), está em espera para ser debatido no planalto.
Alguns municípios e estados estão criando leis próprias para ampliar esse período. O município de Macaé/RJ, por exemplo, já aplica desde 1998 a licença para funcionários municipais de 30 dias.
Alguns países, como a Suécia, estão aplicando a licença parental, onde o casal recebe a licença de 30 dias. Outros países estão dando até mais prazo para esse licença.

Achei um artigo sobre essa questão no site do O Globo, entitulado: Debate sobre maior tempo de licença para pais cresce no Brasil. Na matéria, fala sobre alguns casos, sobre os problemas que essa medida podem gerar e algumas opiniões acerca do assunto.

Qual criança não gostaria de uma maior e melhor relação com seu pai?

Uma das maiores críticas sociais sobre o aumento da licença, é que há pais que não ajudam em nada mesmo nos 5 dias, então eles ganhariam 30 dias de férias e se bobear até atrapalhando a esposa. Então, iremos continuar impedindo os pais que ajudam a poderem ajudar mais. É justo para todos? Quando digo para todos, lembremos que estamos tirando um benefício (ou no caso, não criando um) e assim impedindo que tantos possam desfrutar dessa oportunidade: pais, mães e filhos.

Como um mãe pode “lucrar” com essa licença? Oras, com um homem em casa ajudando nas tarefas domésticas e parentais, ela teria mais tempo para descansar ou se dedicar ao novo personagem da família, que no fundo, é o motivo de tudo isso.
Um pai que pode estar presente na vida da mãe e do filho com mais intensidade, é benéfico a todos.
Lembrando que para o pai que quer se fazer presente, é maior satisfação emocional/pessoal o que pode criar um profissional mais disposto e feliz no trabalho e nas relações pessoais, além de um pai mais conectado a sua família.

Repensemos melhor sobre a visão ao pai, pois isso pode garantir uma sociedade melhor.
Entendo eu, mesmo que minha visão seja parcial sobre o assunto, que isso é extremamente importante para todos os envolvidos e desafio me contra-argumentarem nos parâmetros social e cultural com os malefícios da medida.

Valorizando o pai, geramos maior apoio e satisfação para tantos que acho que é pequeno o discurso sobre o não aumento da licença.
Pensemos nisso.

Um grande abraço a todos!
=)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *