O Pequeno Príncipe – Filme

Poster do filme

Lançado nos cinemas em julho de 2015, o filme adaptado do tão famoso livre de Antoine de Saint-Exupéry, de 1943, O Pequeno Príncipe.

O livro é um ícone da literatura mundial (pelo menos do lado ocidental, acho eu) e apesar de muitos amarem o livro e outros não acharem a menor graça, é um best-seller e estava demorando para fazerem uma adaptação mais contemporânea.

Não, não é uma adaptação plena do livro. Criaram uma história sobre o aviador do livro (se você não sabe do que estou falando, é porque leu muito pouco na sua vida ou é do contra) e como ele, depois de velho, apresenta a tão conhecida história do Pequeno Príncipe para uma menina.

No site Adoro Cinema, segue a sinopse do filme:
“Uma garota acaba de se mudar com a mãe, uma controladora obsessiva que deseja definir antecipadamente todos os passos da filha para que ela seja aprovada em uma escola conceituada. Entretanto, um acidente provocado por seu vizinho faz com que a hélice de um avião abra um enorme buraco em sua casa. Curiosa em saber como o objeto parou ali, ela decide investigar. Logo conhece e se torna amiga de seu novo vizinho, um senhor que lhe conta a história de um pequeno príncipe que vive em um asteróide com sua rosa e, um dia, encontrou um aviador perdido no deserto em plena Terra.”

Sim, contei logo que o senhor é o aviador e não precisa ser muito inteligente para deduzir isso no filme. Por isso, não é um grande spoiler.

O Pequeno Príncipe e sua amada rosa.

O filme é uma animação e eu gostei muito. É de um estilo diferente daqueles da Disney e da Pixar, assim gosto de ver a reação das crianças frente a uma novidade. Parece um “Stop Motion” em alguns momentos, quando mostra a história do dito príncipe, e na narrativa, segue uma animação convencional. Essa troca de estilos, gosto de imaginar, que amplia a visão das crianças para novos modos de representar o mundo.

Mas tenho que informá-los de um grande detalhe… o filme não é para crianças!
Não, sinto muito acabar com sua graça, mas o filme é complexo demais para uma simples criança. Não tem aventuras de verdade, não tem monstros ou ação, é uma história em narrativa e com muitas questões filosóficas, assim como o livro, que também não é para crianças.
De novo, não, não é. É um livro reflexivo, onde crianças não são capazes de entender quase nada… só gostarão ou não de ver um menino falando com uma raposa, andando no deserto e limpando vulcões (o que não aparece no filme… senti falta)

O Pequeno Príncipe e sua querida amiga, a raposa.

O filme fala muito mais sobre as expectativas de uma criança e sua capacidade de crescer e aprender vivendo outras formas que o modelo cartesiano de estudar para se formar como “doutôr”, abrindo sua mente para literatura e filosofia, vivenciando novos mundos e assim expandindo sua visão.

O filme cria um futuro que não existe no livro, o que não sei se foi muita pretensão da produção ou uma boa sacada, mas para mim, valeu. Foi uma boa maneira de colocar em discussão alguns temas apresentados no filme.

Mas tenho que repetir uma coisa (parece implicância, eu sei), mas tanto não é para criança esse filme – e esse livro – que o público era predominantemente adulto na sessão e meu filho dormiu logo após uns 20 minutos do filme. Sim, ele estava cansado, mas ele não dormiria em outros que ele goste ou que lhe chamam a atenção.

Acho que vale a pena assistir com seu filhote que estiver na faixa dos 8 anos pra cima, mas mesmo assim, não garanto que ele entenda muita coisa. Ah, mesmo assim, o filme tem classificação livre.

Bem, dá uma olhada no trailer e veja o que acha:

Eu gostei bastante, mas não sei se seu pequeno irá gostar tanto não. Espero que sim.
Grande abraço a todos!
=)

Capa do livro. Um clássico.

Deixe uma resposta