Desabafo de uma mãe alienada de sua filha…

Tem um “mecanismo” utilizado por advogados inescrupulosos e por genitores doentes egocêntricos e dementes que, para facilitar o processo de guarda, se faz uma acusação de abuso sexual por parte do outro genitor, o que cria um processo de investigação que pode durar anos, para só então, o genitor acusado, voltar a ter acesso ao filho, pois enquanto se faz a averiguação, se isola o filho do genitor.
O problema, é que quando descobre-se que a acusação é falsa, muitos são os casos em que não gera problema nenhum para aquele que faz a acusação.
Por isso, a falsa acusação de abuso sexual, deveria ser revista, já que sim, se houver a constatação de abuso, o genitor culpado tem que ficar afastado do menor, mas em contrário… provando-se que a acusação é infundada e com o único intuito de afastar um dos genitores do menor… creio que a punição por injúria e falso testemunho, deveria ser mais rígida, o que não acontece de fato.
Assim, muitos são os casos de pais afastados de seus filhos enquanto respondem processo de constatação desse abuso.
Trago aqui, o desabafo de uma mãe que está sofrendo um afastamento para essa averiguação.
Ela se declara inocente, mas o mais importante, é que ela provando sua inocência, não haverá “restituição” pela distância criada entre mãe e filha, algo muito ruim para a mãe, e pior, para a filha.
Leiam o desabafo dela:
Edna Valois
SENTINDO NA PRÓPRIA PELE
A Alienação Parental é um crime perverso que provoca efeitos devastadores tanto à criança como ao genitor vitimizado e a sua família. Principalmente quando o processo de obstrução do sadio convívio familiar da criança vem acompanhado de falsas denúncias de abuso sexual. É o ápice da Alienação Parental, crime terrível praticado contra a criança e sua mãe, (ou pai conforme o caso), que os operadores do direito ainda parecem desconhecer. E o pior, que o abuso inventado pode ser materializado por profissionais que trabalham para a justiça, levando a própria Justiça à cometer injustiças, tornando a criança órfã de pai ou mãe vivo penalizando inocentes e o Poder Público agindo como cúmplice de um crime hediondo. E mesmo que no final das investigações, com a Justiça declarando Improcedentes às acusações, o tempo decorrido que pode ser de vários anos, já causou sequelas à criança, ao genitor desonestamente acusado e a toda família que ficou durante anos, judicialmente impedida de estar, ver e até saber da criança, amada e querida por todos. E o que acontece ao genitor que cometeu tamanha crueldade, com o processo já transitado em julgado concluindo pela improcedência das acusações? Nada, e mesmo com as visitas após anos de impedimento restabelecidas, ele continua a ferro e fogo com o processo de Alienação Parental, visando obstruir à qualquer custo, o contato da criança com o outro genitor e sua família. É o que ocorre comigo e minha filha e com mais de 25 milhões de crianças que sofrem este tipo de violência no Brasil. E ninguém tem ideia da dimensão da dor que sofremos com tudo isso. É muito revoltante e os danos de toda ordem produzidos são irreparáveis. Que os operadores do direito atentem para esse tipo de crime contra crianças e seus pais, e punam exemplarmente o genitor alienador e autor da falsa denúncia de abuso sexual. Não se pode ter complacência para tamanha crueldade.”
Triste… muito triste…
=/

Nenhum comentário


  1. Nossa.. Que forte isso…
    Por essa e por outras, é que acredito que muitas vezes quando se gera um filho, os que mais sofrem são eles… Relutei em ter um filho por medo a diversas coisas, entre elas, essa disputa em uma separação onde se recorre a qualquer artificio para que uma das partes tenha a guarda da criança… Ótimo o seu alerta e uma pena por Edna 🙁 abs

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *