Mãe é condenada a pagar indenização por falsa acusação de abuso sexual contra a filha – matéria

Infelizmente, muitos são os casos de falsas denúncias de abuso sexual contra filhos. Na maioria dos casos, mães criam essas denúncias para impedir o contato dos pais com seus filhos e assim se vingar do ex-companheiro.

Para exemplificar as penalidades que podem ocorrer em caso de falsas acusações de abuso sexual, achei uma matéria contando a história de um mãe condenada a pagar 50 salários mínimos por ter inventando denúncias que foram provadas em todas as esferas do judiciário, como falsas.

A matéria eu achei no site Migalhas, intitulada: Mulher terá que indenizar pai de sua filha por acusá-lo de abusar da menina, publicada no dia 27/jul/2016.

A decisão é da 4ª Câmara do Direito Privado do TJ/SP.
O desembargador responsável pela decisão, ainda ressaltou: “O óbice apresentado pela genitora atinge o patrimônio imaterial do autor. Destarte, o egoísmo da requerida não pode prevalecer, já que o pseudoindividualismo em nada contribui para a criação e formação da prole.”

Infelizmente, esse não é um exemplo corriqueiro. Milhares são os casos de falsas denúncias que não dão em nada e com o longo tempo perdido em juízo para se estabelecer a inocência do acusado, o impedimento de ver seus filhos é tão grande que a falsa acusação permite ao genitor alienador, projetar e criar a Síndrome de Alienação Parental na criança ou adolescente.

Lutemos por um mundo melhor para nossos filhos e paremos com tanta violência criada só por ações egoístas. O fruto de uma relação não tem que pagar pelos erros desta.

Para aqueles que lutam pelos seus filhos, eu sempre parafraseio o lema romano:
Força e Honra, Sempre!
Grande abraço!

 

3 Comentários


  1. Gostaria de saber a ementa desta decisão, obrigada.

    Responder

  2. ola bom dia , estou passando por um momento muito difícil da minha vida ,
    minha esposa saiu de casa foi embora com meu filho de casa sem falar nada sem me dar uma explicaçao cheguei do trabalho ela ja nao estava mais la e a gente tem um filho de 3 anos fui atras dela para ver que estaria acontecendo achei ela na casa da mae dela , tentei ver se ela voltace pra casa e nada , falei e nosso filho como vamos fazer ela me disse nada e para nao ir mais na casa da mãe dela , e falei quero ver meu filho pois tenho muita saudades dele e ele de mim . ela nao pq tava com alguem acompanhada , falei para nao misturar as coisas relaçao de pai e uma coisa com ela e outra , ela nao quis nem saber um sabado a tarde fui ver meu filho liguei para ela antes , ela falou para esperar ela , fiquei esperando em frente casa da mae dela , de repente chegou um elemento e ja veio me empurrando me batendo dando socos e brigamos não consegui ver meu filho mais depois desse dia fui a delegacia pra fazer boletim ocorreria la na delegacia descobrir que ela tinha feito um boletim ocorrência de estrupo contra meu filho . ela pegou boletim levou pro juiz e o juiz sem provas sem exames sem nada me proibiu de ver meu filho ate ja to nessa luta pra ver meu filho ja tem 5 meses tivemos primeira audiencia e nada se resolveu o juiz ainda nao liberou minha vizitas mesmo sem provar nada . ninguem se importa com amor de pai ou amor de filho pelo pai . meu filho e muito apegado a mim des de que naceu ate o dia que ela fugiu de casa sem me falar nada ,e o unico filho que tenho , hoje meu filho ta muito triste deprimido sempre cabeça baixa triste , vejo isso nas fotos que ela posta com meu filho ela alegre feliz meu filho do lado triste abatido deprimido . por favor se alguém poder me ajudar vou ficar muito agradecido eu e meu filho.

    Responder

    1. Meu querido, sinto muito por tudo isso.
      É uma situação muito ruim a sua, mas ela tem futuro. Lute pela justiça, mostre sua determinação em ver seu filho, enfrente Deus e o mundo por ele e um dia você poderá não só ter acesso a ele de novo, como se provando inocência, processe ela por alienação parental e calúnia.
      Não desista.
      Força e Honra, Sempre!
      Grande abraço!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *