Gravidez e Tabaco, combinação muito ruim

Nessa sexta-feira, dia 31 de maio, foi o dia mundial sem tabaco.
Não, não sou e nunca fui fumante.
Não, não imagino de fato o problema que é largar o vício do cigarro.
Não, nunca tentei, por isso não sei o quão difícil é largar.
Mas… sei de uma coisa… Nada, repito, nada é mais importante para mim do que a saúde do meu filho.

Eu costumo acreditar que eu farei tudo o que for necessário para ele. Claro que o verbo é “acreditar”, pois eu nunca serei capaz de dar tudo o que ele precisa ou que lhe é necessário. Ninguém fará algo assim, pois, ao contrário do que a regra geral pensa, dinheiro não compra tudo (apesar de ajudar bastante) e como nem dinheiro tenho o suficiente para tentar comprar tudo…

Eu, baseado nessa premissa, me esforço para fazer tudo o que eu puder pelo meu filho e me desculpem… pela saúde dele, acho que largar o vício, nem que seja somente durante a gravidez, é algo extremamente importante.
Segundo o tuasaude.com,  são sete os motivos para não se fumar durante a gravidez:

  1. O risco de aborto é aumentado;
  2. As complicações durante o parto são mais comuns;
  3. O descolamento da placenta e a ruptura precoce da bolsa acontece com mais frequência;
  4. É maior a probabilidade do bebê nascer com defeitos genéticos;
  5. A morte súbita é um evento que acomete mais bebês de mães fumantes do que de mães não-fumantes;
  6. As toxinas do cigarro comprometem o desenvolvimento cerebral e a inteligência do bebê;
  7. Os bebês de mães fumantes têm maiores probabilidades de desenvolver alergias e  infecções respiratórias.

Ok, ok… não acha que um blog possa ser referência de dados clínicos sobre esses riscos? Então, leia o que o site do INCA – Instituto Nacional do Cancêr, tem a dizer:

“Um único cigarro fumado por uma gestante é capaz de acelerar em poucos minutos, os batimentos cardíacos do feto, devido ao efeito da nicotina sobre o seu aparelho cardiovascular. Assim, é fácil imaginar a extensão dos danos causados ao feto, com o uso regular de cigarros pela gestante.”

E não basta não fumar. Uma gestante exposta ao fumo passivo também tem problemas:
“Os riscos para a gravidez, o parto e a criança não decorrem somente do hábito de fumar da mãe. Quando a gestante é obrigada a viver em ambiente poluído pela fumaça do cigarro ela absorve as substâncias tóxicas da fumaça, que pelo sangue passa para o feto.” (fonte: INCA)

É muito sério o problema. Muito mesmo!
Não vou colocar aqui foto de fetos com má formação por causa de cigarro, mas olhe quem quiser no link ao final.

Cuide do seu bebê, por favor!
=l

Link com fetos com má formação

Nenhum comentário


  1. Antes de tudo, parabéns pela mudança para o wordpress. Sua casa nova está linda e tenho certeza que aos pouquinhos, vc irá deixá-la cada vez mais do teu jeito.
    Parabéns tbm por tocar nesse assunto. É lamentável ver qtas gestantes fumam amarradonas.
    Filho não é brinquedinho. É uma nova vida que geramos e que passa (ou ao menos deveria passar) a ser prioridade já que não pediu para ser gerada e não tem condições de se manter sozinha. Bjos, Lizandro. Para vc e seu filhote lindo!!!

    Responder

  2. Parabéns pela escolha do tema. Infelizmente ainda é muito comum gestantes que fumam apesar de todo malefício causado pela nicotina, como se não bastasse, o fumo passivo a que todos somos expostos.diariamente.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *