Campanha #sóestousendopai – Nicho Down bahia

nicho down

Meu camarada Jimmy Córdoba também está ativo nessa campanha de mostrar a paternidade por outra ótica.

Ele tem uma ONG lá em Salvdor/BA, para inclusão de crianças com necessidade especiais. Seu pequeno é portador de Down e ele entendeu que precisa haver mais espaço para se debater e apoiar as famílias que tem que lidar com essas necessidades diferenciadas. Disseminar e orientar é uma das suas causas.

Mas como pai, ele sabe que essa é uma obrigação de quem ama, de quem cuida, e não foge a luta. Como todo pai deveria fazer.

Então ele se juntou a nós para mostrar que só está sendo pai ao fazer tudo isso.
Eu, ele pela ONG Nicho Down Bahia, o Tomás Dotti, lá de São Paulo, do site Papo de Pai e o carioca Vinícius Lima, do site Pai eh Pai, estamos promovendo essa campanha para quebrar a visão de que pai faz algo demais por ser pai.

#sóestousendopai

Participe você também.
Publique fotos ou vídeos em atividades rotineiras entre pais e filhos, mostrando ao Brasil todo que isso não é nada demais.

Grande abraço  a todos!
Força e Honra, Sempre!
=)

3 Comentários


  1. Bem nao sou pai solteiro ,mas mae solteira de um filho que adotei de coraçao qdo ele tinha dois meses de idade. Hj ele ja tem 15 anos é a maior paixao da minha vida e nao o troco por homem nenhum e por isso nunca me casei. Meu filho sempre em primeiro lugar. um abraço.

    Responder

  2. Ontem,por acaso,assisti o programa no GNT,e simplesmente,amei. Meu filho teve pai morando em casa, até os dois anos e oito meses,mas,morar na mesma casa não quer dizer nada quando se fala em participar da criança de um filho,de estar crescendo junto com ele,e vivendo uma experiência nova a cada minuto. Ninguém nasce pai,se torna.
    Me emocionei em muitas cenas,e gostaria muito que meu filho pudesse ter tido essa convivência necessária entre pai e filho.
    Hoje,aos 18 anos,meu filho lembra de passagens de uma infância muitas vezes subtraída pela ausência física do pai,é mesmo eu estando lá o tempo inteiro,esse papel não me cabia.
    Lembro de uma homenagem no dia dos pais da escola,ele com seis anos,e era eu que estava lá,rodeada de pais assistindo a apresentação…triste isso para uma criança com pai vivo.
    Continue a estimular sempre a homens sentirem um amor incondicional ao seus filhos,e a partilharem esse amor com eles sempre.

    Responder

    1. Obrigado pelo carinho querida.
      Sinto muito pelo seu filho, pois ao pai, não sabe o que perdeu.
      Nada paga o amor incondicional de uma criança. Nada paga essa relação de enorme companheirismo entre um pai e um filho. Azar o dele.
      Espero que seu filho posso ser pleno, apesar dessa ausência.
      Beijo do grande!
      =)

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *